quinta-feira, 23 de junho de 2016

Livro - A Seleção - Kiera Cass

Sabe aquele livro que você quer comprar sem nem ler a sinopse? Que só pelas informações da capa você já sente que vai ser bom? Foi isso que senti quando vi este livro pela primeira vez. Onde mais eu poderia encontrar 35 garotas lindíssimas, disputando um príncipe? Sem contar que capricharam nas capas de todos os livros (e querendo ou não, a gente acaba comprando livros pela capa, sim!).
Não sei se foi o desespero da curiosidade ou se a história era mesmo muito boa, mas o li em menos de 48 horas. Claro que procurei por spoilers faltando 3 páginas para acabar se não não seria eu. E gostei muito do que li.
Um ponto que me chamou a atenção foi o contexto histórico em que a trama se passa. Este universo distópico, acontece após a Quarta Guerra Mundial. O país de America Singer, Illéia, que se fundou onde costumava ser os Estados Unidos, é jovem e com leis muito rígidas. Há quem diga que se assemelha à Jogos Vorazes, mas eu achei que não tivesse nada em comum. Até participar da Seleção é facultativo, portanto as leis são um pouco mais "leves" que em Panem e ninguém está se matando. Realmente parece ser um país querendo dar certo e manter a ordem... do jeito deles, claro. A sociedade é dividida em castas, do Um, a família real, até o Oito, mendigos e andarilhos. Gostei deste livro por não trazer apenas os rostinhos bonitos das moças disputando pelo coração do príncipe, - algo que é meio machista, mas você muda de ideia lendo - trata também da parte social.
America é uma jovem musicista da casta Cinco, portanto, a alguns degraus da pobreza. Claro que já ganhou meu coração de cara só por ser musicista. Tem uma família grande de artistas e o fato de receber a carta para concorrer a uma vaga na Seleção, assim como todas as moças jovens do país, atraiu o interesse de seus familiares. A Seleção não beneficiava apenas a Selecionada, sua família seria recompensada também. Entretanto, o coração de America já está ocupado... Aspen, um rapaz muito fofo e esforçado que também a ama. O problema é que ele é um Seis. A vida de ambos é bem difícil e qualquer possibilidade de melhorá-la deve ser considerada. Contrariada e a pedido de Aspen e sua família, America se inscreve e para a surpresa de todos: é selecionada. Quem não selecionaria uma ruiva???
Sabemos o que acontece, não é meninas? O príncipe Maxon não poderia ficar atrás. É um rapaz inocente e atencioso, - além de ser um príncipe, né? Lindo de morrer. - que te conquista desde o primeiro momento. Ao conhecer melhor o príncipe, America começa a pensar no que sua vida se tornara e no que realmente queria.
Enfim, não posso revelar demais, pois seria spoiler, mas recomendo 837164761893812 vezes a leitura. Ainda mais se você for fã de romance. O livro é cheio de cenas que você vai dizer "whaaaat?" ou "comassim?". Tem bastante surpresas, mesmo sendo um romance fofinho. Além de às vezes você sentir a vontade de bater em algum personagem por um motivo bobo aqui e ali, você vai esboçar um sorrisinho todas as vezes que um dos dois mocinhos aparecerem. Sem contar que a America é uma graça, humilde e preocupada com todo mundo sem ver casta. O único ponto negativo que alguém pode encontrar é a indecisão dela em alguns momentos. Mas também, não é pra menos, né? Os dois são incríveis do seu próprio jeito. Um amor, simplesmente!


De sua eterna escritora,
Vick Ventlando.

Um comentário:

  1. Oi Vick!
    Eu li só o primeiro da série e amei!
    Queria continuar mas precisava reler o primeiro livro, porque já faz muito tempo, esqueci muita coisa.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir

Converse comigo! E deixe seus pensamentos extraordinários aqui <3